sábado, 24 de dezembro de 2011

O carinha me entendendo outra vez

Numa dessas choradeiras à noite e tentativas de desabafo, veio um carinha com seu problema que acaba sendo o meu também: it's only me, it's not my mind... Esse mesmo que em outras frases traduz justamente minha grande falha. Eu não sei me portar. Eu não sei olhar. Eu não sei falar. Penso um turbilhão e tudo cai em gota, confundindo demais a fala para qualquer coisa. E o pior: tento usá-la, e só sai estrago. Desses de aborrecer os outros e tudo.
Tiro os olhos do céu escuro e coloco no rosto de alguém, e vozes gritam pedindo para que eu pare de derramar tanta raiva pelos globos. Lá dentro eu não entendo, e aí o carinha pensa por mim outra vez. It's only me, it's not my mind...
Tenho todos os defeitos do mundo, mas eu penso, penso até demais. E se meus olhos dizem outra coisa, e se minha voz não presta, e se meus braços evitam qualquer afeto, digo que não é minha mente. Não é a intenção. É simplesmente eu. Sou só eu.


Moral da história: me dê um papel e eu tento te explicar... só não me peça pra falar. A menos que tenha lencinhos e um balde de paciência. 
Pensando bem, você não gostaria.


...That is confusing things. 

3 comentários:

  1. Identifiquei-me totalmente com este texto. Comigo também acontece muito isso. E essa música aí... Pelo amor de Deus, o George deve me xingar de tanto que digo que "tem tudo a ver comigo".

    ResponderExcluir
  2. Xinga nós duas o dia inteiro, pode acreditar!

    ResponderExcluir