quarta-feira, 16 de novembro de 2011

no subjuntivo

E se num dia claro a gente voltasse
E eu apagasse minhas palavras fracas
E de alegria eu bordasse o boa noite
E de bons sonhos fizéssemos realidade

E se eu nos deixasse assim um pouco mais
E calasse enfim todo o meu temer
E desse aos corações o tempo do mundo
E de esperança embebesse meu futuro

Talvez então, meu bem, eu sorriria
Com a certeza de quem vive sem fim
Nem medo ou carência no peito
Só o bem de sentir aquilo que canta

Talvez então, querido, eu poderia dizer
Que sonho de algodão dura pra sempre,
Já que o dia só é doce de se acordar
Quando grava o sorriso no travesseiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário