quarta-feira, 19 de outubro de 2011

um nada

e você já se
sentiu como se nada,
nada
importasse?


não sei, é
cabeça que gira
e sentimento
que insiste em vir,
e mesmo que eu
queira te dizer
um bonde de coisa,
eu paro


paro por pudor
paro por medo
eu paro por
mero conforto.
eu paro sem querer
e, quando longe,
só penso em tudo
quanto não te 
disse. 

obs.: escrito depois de ler um Bukowski da vida e com a cabeça meio esquisita

Nenhum comentário:

Postar um comentário