sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Uns meses já

Lá estava eu no meio do sol e da gentarada toda, sem fazer ideia do que as próximas horas seriam. (agora me veio à cabeça As próximas horas serão muito boas; não tem nada a ver... mas que que eu estava falando?) Ah! O pi-pi-pi nervoso parou e veio a primeira pista, uma voz doce e que tornava tudo aquilo real. Toda aquela loucura em que eu andava pensando, pensando... agora tão perto. E veio de surpresa mais uma vez, do meio das cabeças... simplesmente um borrão. Suas palavras são borrões que eu insisto em decifrar, mesmo até hoje. Fui fechando as manias para mim somente; ninguém gosta de ouvir essas bobeiras mesmo.
Mas enfim, lá estava eu, debaixo do sol e querendo beliscar a mim mesma... sabe o que é ver toda a imaginação à sua frente, em cores reais? Cena idiota, idiota. Era incredulidade misturada com admiração e uma angústia alegre.
Muito não me veio à língua e assim continua; muito eu quis deletar e muito quis reviver. Depois de tanto tempo daquela tarde anormal, fazendo ou não diferença para você, até me esqueço de que passa de pura imaginação. Mas eu te digo, meu bem, que os sentimentos continuam aqui e me lembro da sua voz vez ou outra... naquelas frases.

...e outras crises de criação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário