sexta-feira, 1 de julho de 2011

Blur!

Dia cinza, preguiçoso e o sabor de fome na boca. Chocolate, chocolate.
Sabe quando você acorda sem saber o que aconteceu? Assim que me sinto. O dia de ontem e o de anteontem, todos têm me vindo inconscientes. E vice-versa. 
A pausa chegou, mas só sei até aí. O que vem depois dela ou mesmo durante ela é como todo o resto, inconsciente... e imprevisível. É choro que seca no vento e que fica colorido com música, ideia de alívio que vai embora tão rápido como veio. O escuro gosta de encobrir o sol e o sol gosta de encobrir o escuro. 
Já prevejo minha andada por ruas esburacadas, o fone e o vento. Prazerzinho bobo que, como todo o resto, não sei explicar... tudo perdeu a cara.
Desisto, não sei explicar mais nada.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário