quarta-feira, 8 de junho de 2011

De sempre

Ouço tudo e deixo a porta aberta, a mandos da boa conduta. E de que isso adianta?
A gente sempre quer mais e mais e, cá entre nós, isso é muito irritante. O pouco dá um certo controle e humildade... valor. Mas não chega no contentamento verdadeiro. 
E qual que é minha contribuição a todo sol que nasce? Pontos escuros. É, reclamar, caçar defeito, ser chata, pessimista, chame como quiser.
Vão dizer que reclamo de barriga cheia e blablablá... o que não deixa de ser verdade. Que miséria alheia não me passa de abridor de olhos; nunca analgésico...
O que que eu procuro? Não sei já faz um tempo. Às vezes penso nisso... e incomoda, sabe. Porque consciência eu ainda tenho... afinal pra que serve a cabeça? 
É... Ah, um pássaro sem asas? É, podemos dizer assim, não que eu goste da analogia. Que eu tenho vontade... só não tenho mãos. 
Já me desdobrei demais e está aí a preguiça falando mais alto: 
"I've got the spirit but lose the feeling..." 

Nenhum comentário:

Postar um comentário